Tudo sobre higiene bucal de bebês

Quando levar o bebê ao dentista? Como deve ser a higiene bucal das crianças? Bebês podem ter cáries? Essas e outras perguntas foram respondidas pela Dra. Flávia Martins, dentista formada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, especialista em odontopediatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, especialista em cuidados materno-infantis pela Unyleya e mestranda em odontopediatria pela São Leopoldo Mandic – Campinas.

1) Doutora, a primeira pergunta é uma das mais comuns que os pais tendem a fazer: quando devemos começar os cuidados com a dentição do bebê e como ela deve ser feita?

Os cuidados devem começar desde o nascimento do primeiro dente, que geralmente acontece por volta dos 6 meses. A higienização deve ser feita com escova de dentes de cerdas macias, cabeças pequenas e arredondadas, e cabos longos. É válido lembrar que a quantidade de pasta deve ser igual a meio grão de arroz cru até os 3 anos de idade.

2) Quais hábitos podem influenciar negativamente a estrutura bucal da criança?

Uma alimentação com excesso de açúcar, em especial a sacarose, e uma má higienização bucal. Esses dois fatores juntos facilitam o aparecimento de lesões de cárie, por exemplo.

3) A partir de qual idade podemos levar as crianças ao dentista?

A partir de 0 ano. Muitas pessoas ainda acham estranho bebês irem ao dentista, mas o mais recomendado é que a primeira visita ao odontopediatra seja feita antes do aparecimento do primeiro dente, a fim de que todas as instruções corretas sejam dadas. Além dos dentes, o dentista também avalia outras estruturas, como freios labiais e linguais. Quanto mais cedo houver o diagnóstico de alterações nessas estruturas, mais cedo poderemos tratar, o que favorece todo o desenvolvimento dessa criança.

4) A partir de qual idade/mês podemos iniciar a higienização bucal da criança? Como deve ser realizada a higienização bucal do bebê? Mesmo sem a criança ter dentes devemos nos preocupar com isso?

A higienização só precisa ser iniciada quando há dentes na cavidade bucal. Antes disso, não é preciso se preocupar com isso! Na ausência de dentes, só há superfícies descamativas presentes e a saliva é a responsável pela limpeza da região. Além disso, caso o bebê seja amamentado no peito, o resto de leite materno presente na língua também contém anticorpos importantes para sua proteção. Assim, não faz sentido removê-lo.

5) Como é a primeira consulta do bebê no dentista?

A primeira consulta costuma acontecer a maior parte do tempo com os pais. Realizo uma minuciosa anamnese, na qual pergunto várias questões sobre a vida da criança, desde a gestação até aquele momento. Pergunto sobre os hábitos alimentares, rotina de escovação, quem são os principais cuidadores, se frequenta creche ou escola, rotina de sono e por aí vai. Depois, explico como as lesões de cárie aparecem, dou instruções sobre escovação, explico quais pontos da rotina da criança podem ser melhorados e como podemos fazer isso juntos. Por fim, a criança vai para a cadeira e essa, sem dúvida, é a parte mais divertida. Dependendo da idade, eles amam explorar o ambiente, conhecer o funcionamento de cada aparelho e o novo acaba encantando. Alguns não querem sentar na cadeira e não há nenhum problema nisso, já realizei consultas no chão. Tudo é questão de adaptação e entender que os adultos somos nós.

6) Podemos levar o bebê em qualquer dentista ou apenas num profissional voltado ao público infantil?

Para responder essa pergunta eu sempre faço uma analogia com a medicina. Você pode levar o seu filho a um clínico geral? Pode. Mas quem entende melhor as demandas dele: um clínico ou um pediatra? Com a odontologia acontece a mesma coisa. Você pode levar o bebê/criança em qualquer dentista, mas o odontopediatra é aquele que se especializou, estudou especificamente para atender e entender as demandas do público infantil.

7) Os bebês podem ter cárie?

Podem, sim! Inclusive dentes de leite também têm raiz e pode ser necessário fazer tratamento de canal em casos de lesões de cárie profundas.

8) O mau cuidado com a dentição influencia em outras áreas da vida infantil, tais como alimentação e fala?

Dependendo das consequências desse cuidado mal feito, várias áreas da vida infantil serão afetadas. Uma criança, por exemplo, que possui cárie de primeira infância, acometendo os incisivos (dentes da frente) superiores, além de dor e dificuldade para mastigar, sofre, muitas vezes, bullying na escola por conta da estética. Se houver perda dentária precoce, a fala também poderá ser acometida. Ou seja, não existe saúde se não há cuidado com a boca. Nosso corpo é um só e é necessário cuidar dele como um todo para sermos saudáveis.

9) A senhora gostaria de acrescentar alguma informação extra?

Sim. Até que a criança tenha a coordenação motora fina desenvolvida, o que acontece por volta dos 8 anos, é necessário que a escovação seja feita por um responsável. É importante deixar a pasta longe do alcance das crianças para que não exista o risco de ingestão excessiva.

Deixe um comentário